Gatos, cães e o COVID-19: dúvidas e esclarecimentos com a Gattos Medicina Felina

90372685_3111231018887659_6731142161552637952_o
Gatos, cães e o COVID-19: dúvidas e esclarecimentos com a Gattos Medicina Felina
Em épocas de pandemia, onde o desconhecimento e as “Fake News” predominam, o mundo em pânico tenta entender o que está acontecendo, e faltam informações confiáveis, bem como textos em português para o público geral.
Visto isso, resolvemos escrever um informativo destinado não somente aos nossos clientes, mas ao público geral, com o que temos até o momento sobre o COVID-19 e nossos pets. Assim que novas informações surgirem, tenham certeza de que atualizaremos isso a todos vocês!
O Beta-Coronavírus que causa a COVID-19 (Coronavirus disease 2019), formalmente 2019-nCoV, é o SARS-CoV-2. É um coronavírus diferente dos que comumente acometem os gatos e cães, como o coronavírus entérico felino e o coronavírus canino, que são Alfa-Coronavírus e NÃO infectam os humanos.
Uma das questões que mais ouvimos de nossos clientes, no momento, é se os gatos e cães podem se infectar e sofrer da COVID-19. E qual é a resposta?
Nós realmente não sabemos. Como é um agente novo, ainda existem poucas informações e estudos sobre o SARS-CoV-2 em animais de estimação.
Evidências preliminares em um caso ocorrido na China, em Fevereiro/2020, citam um cão que convivia com um doente acometido pelo COVID-19, que teve diversos testes positivos para o SARS-CoV-2. No entanto, no início do mês de março, a organização mundial de saúde (OMS) e a associação mundial de veterinários de pequenos animais (WSAVA) afirmam não existirem evidências científicas de que gatos e cães possam se infectar com o vírus que acomete o humano e gera a COVID-19.
Embora o receptor usado pelo vírus para entrar organismo (o receptor da ECA2 – enzima conversora de angiotensina) esteja presente em gatos e cães, é preciso mais do que só o receptor correto para todo o ciclo de replicação e doença ocorrerem. E até o momento, NÃO EXISTEM EVIDÊNCIAS DE QUE ISSO OCORRA EM NOSSOS PETS!
Assim como não existem evidências de que nossos pets possam se infectar e desenvolver doença similar à COVID-19, também não temos nenhum dado concreto e confiável de que eles possam transmitir o vírus a outros animais, bem como a seres humanos.
Mesmo sem evidências concretas, alguns laboratórios possuem o teste nos EUA e Europa, e após analisar amostras de milhares de gatos e cães que conviviam com um ou mais humanos doentes com COVID-19, NENHUMA amostra teve teste positivo.
Sendo assim, não existe necessidade de medo ou pânico com relação aos gatos e cães desenvolverem ou transmitirem o coronavírus que infecta os humanos. No entanto, outros pontos muito importantes devem ser conversados e pensados, frente à real pandemia em que vivemos, além do fato do vírus e a COVID-19 serem novas e com muitas informações a serem descobertas.
O centro de controle de doenças dos EUA (CDC-USA) e a associação Americana de veterinária (AVMA) citam que, caso você não apresente manifestações compatíveis com COVID-19 (febre, tosse, coriza…), sua interação com seu(s) animal(ais) de estimação pode ser normal! Hábitos de higiene, como higienização das mãos com água e sabão antes e depois da interação, higiene regular de vasilhas de água e comida, bem como caixa de areia, devem ser mantidos como usualmente.
Por excesso de zelo, em caso de sintomas gripais, as mesmas associações recomendam limitar o contato com animais de estimação até que mais informações estejam disponíveis. Uso de máscara, higiene contínua das mãos, evitar dividir comida, bem como evitar abraçar e beijar os pets também é recomendado.
E o que fazer com os Pets caso precisem ir ao veterinário?
Manter rígidos hábitos de higiene das mãos e cuidados com a cobertura do rosto em caso de espirro ou tosse são fundamentais (não somente na clínica veterinária!). Evite contato social direto, como apertos de mão e abraços. Evite levar as mãos ao rosto.
Caso esteja com sintomas leves (tosse, espirros, coriza, febre baixa), a recomendação da secretaria da saúde é de ficar em casa, em quarentena. Caso necessite levar seu animal ao veterinário, prefira que outro membro da família o faça. Em não havendo alguém, comunique o veterinário da existência de sintomas compatíveis com COVID-19 antes de leva-lo à consulta. Você e seu veterinário podem discutir os próximos passos a serem tomados, bem como se existe necessidade de intervenção imediata.
Nosso conhecimento sobre o SARS-CoV-2 e os pets vem mudando rapidamente! Fique sempre ligado em informações confiáveis e com referências científicas!
Alexandre G. T. Daniel, MV, MsC, Dip.ABVP (Feline)
Texto escrito em 17 de março de 2020.
Referências importantes sobre COVID-19 e animais de estimação:
Voltar